No memories




Nos momentos constantes de incertezas, ela se desespera na busca de respostas para preencher as lacunas nas suas lembranças. São tantos momentos misturados, sem uma cronologia certa que tudo fica embaralhado e sem lógica. Mas, ela não tem como saber, ao certo, se tudo aquilo que está na sua cabeça é verdadeiro. Sonhos, desejos, pretensões, tudo está ali como uma coisa só. Então, como resposta para as incertezas iniciais, nem sempre, ou quase sempre, o que saí é realidade. A quem convive resta apenas a incapacidade de fazer com que ela entenda que aquilo não é o certo, mas esquecemos que o nosso certo, não é o certo para eles. Esquecemos como essas lacunas devem ser terríveis. Como deve ser angustiante querer lembrar e não poder.


Triste não é ela não lembrar, é você não entender como isso deve ser. ELA não pode lembrar, você pode.

Comentários

  1. A primeira coisa que me chamou atenção foi o título, mas o texto embora pequeno, é muito bom! é mais ou menos assim que anda funcionando a minha memórias esses tempos, um tanto cinzenta (acho que quem vive comigo sofre pra caramba rsrs)
    Um beijo!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas