Compartilhar amor... Será que saiu de moda??


Está ficando cada vez mais difícil nos encontrarmos no mundo. Até parece que estamos cercados de estranhos por toda parte, como se fossemos ilhas de um sentimento reverso. A arte dos bons modos saiu de moda e o que vemos por aí é a disseminação de sentimentos ruins, que toma parte de nossas emoções, nos enfraquecendo, deixando-nos expostos e vulneráveis a entrarmos nessa mesma prática. Percebe-se que ficou fácil demais passar por cima dos sonhos dos outros em proveito próprio. Não se consegui mais ficar satisfeito pela conquista do próximo sem que consigamos algo melhor.

Imagem retirada da internet
No meio de tanto sentimento destrutivo, práticas simples foram se perdendo no meio da evolução. Ficou mais fácil ser rude e ignorar o outro do que parar e dar atenção aos que está próximo de você. Coisas simples do cotidiano caíram no esquecimento e a manivela que dirige a vida está no modo automático e no limite do tempo, sem dar oportunidade de se compartilhar emoções vigentes. Quantas vezes paramos nosso percurso apenas para sorrir de alguém que tropeçou na rua? Ou para comentar com alguém alguma opinião equivocada? Com o celular na mão para registrar aquele momento constrangedor? Será que passou pela cabeça ajudar?

Pensando nisso, seria muito mais agradável se ao invés de ignorássemos - como está ficando enraizado nas nossas atitudes -, parássemos para fazer gestos simples, que podem fazer toda a diferença à alguém. Quando se diz que gentileza gera gentileza, não é apenas uma estampa de camiseta, é uma verdade que muitos não creem. Vejamos isso como uma corrente: um sorriso, um abraço, um aperto de mão, um olhar compreensivo ou apenas um ouvir. São atitudes simplórias, que não dispõem de muito tempo para serem feitas, já que parecer não haver tempo para isso, mas que mostram ao seu colega que você se importa com ele, mesmo que apenas um pouco, somente naquele momento; não irá te afetar diretamente, mas ao outro sim.

São momentos assim, de puro desprendimento que muita coisa acontece, e, até mesmo, deixar de acontecer. Pode ser até desproposital, mas um  sorriso , que desencadeia reações maravilhosas a quem recebe (ou não), àquela pessoa que possa está se sentindo invisível ao mundo, que a muito acha que não é lembrada, e acompanhado de um comprimento, fará completamente a diferença. E, muitas vezes, nas situações tristes e vulneráveis, um  abraço  expressará muito mais do que muitas palavras poderão expressae, que ditas que forma precipitada acabará prejudicando. Olharmos um  aperto de mão  de forma diferente, o que conforta, que também diz muita coisa, juntamente com um  olhar   acolhedor, livre de julgamentos. Ou, um calar seu, para que o outro possa falar.  Ouvir  por um momento o que ele tem a dizer: o desabafo.

Ficou claro que falar pode não ser a melhor das opções, as ações, mínimas que sejam, já mostram por si só a grandiosidade do sentimento. Quando acontecer com um, ele fará com outro, e assim uma corrente se forma entrelaçando todos no compartilhar amor. É tão simples e não custa nada. Vamos praticar...

Tema elaborado pelo grupo Irmandade das Blogueiras do projeto blogagem coletiva. Confira a postagem da Izabella Cordeiro sobre o mesmo tema.

Comentários

  1. Que texto lindo! Eu tenho que concordar, é cada vez mais difícil ver atos simplórios como estes e quando eu os faço, as pessoas ficam até "me olhando como se o que eu fizesse fosse uma raridade" o que infelizmente é nos dias atuais. Vejo tantas situações que me deixam simplesmente enojada, mas apesar disto, não perco o bom humor e a esperança que com meus atos pequenos eu mova montanhas algum dia!

    http://www.uprisingteen.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo saber que ainda tem pessoas assim: que fazer o bem e compartilham o amor. A vida fica bem mais leve, não É?

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas