O Teorema Katherine - John Green


Eis aqui mais um livro do meu querido John Green. Sou suspeita em opinar sobre o Tio Verde, já que ele se tornou um dos meus escritos favoritos, pois escreve com paixão e adora analogias, o que deixa a narrativa, particularmente, excitantes. O livro é adorável, conta a história de um garoto sabichão e apaixonado que só namora Katherine (e leva fora) e que está buscando seu momento "Eureca!" que o fará passar de um simples garoto prodígio para o menino gênio.


 O teorema Katherine  John Green ● Intrinseca ● 2013 ● 304 páginas

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Se o assunto é relacionamento, o tipo de garota de Colin Singleton tem nome: Katherine. E em se tratando de Colin e Katherines, o desfecho é sempre o mesmo: ele leva o fora. Já aconteceu muito. Dezenove vezes, para ser exato. Depois do mais recente e traumático término, ele resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e um melhor amigo bem fora de forma no banco do carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar pés na bunda, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"Prodígios conseguem aprender rapidamente o que outras pessoas inventaram; gênios descobrem o que ninguém descobriu. Prodígios aprendem; gênios realizam. A maioria das crianças prodígio não se torna um gênio na idade adulta. Colin tinha quase certeza de que fazia parte dessa maioria desafortunada."
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Depois de mais um fora, de sua décima nona namorada Katherine, Colin Singleton está devastado e naquela depressão pós-término. Na maior zica mesmo. E pra matar a tristeza resolve curtir sua solidão longe de casa e na companhia de seu único e melhor fugging amigo, Hassan e do Rabecão de Satã, seu carro. Partem sem um rumo específico, deixando a estrado os guiem.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
“O mundo está de pernas para o ar. Adoro. É como se estivéssemos num globo de neve e Deus resolvesse querer uma nevasca, então ele nos dá uma fugging sacudida.” 
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

No caminho, sem nada melhor para fazer do que prestar atença na estrada e olhar o mato passando pela janela do Rabecão, Colin tem a brilhante ideia de desenvolver um teorema matemático que dirá quanto tempo o relacionamento durará, quem terminará e quem irá sofrer ao ser dispensado, ou seja, o terminante e o terminado.

Na minúscula cidade chamada Gutshot param para visitar o túmulo do arquiduque Francisco Ferdinando, Colin descobre que pode existir algo ou alguém além das Katherines que ele tanto ama. Na cidade, ficam hospedados na casa de Hollis, a dona de uma fábrica local. Ela lhes oferece um emprego onde teriam que entrevistar alguns moradores da cidade, juntamente com a filha, Lindsey.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"Lindsey tossiu, murmurou ‘babaquice’, e então tossiu de novo. Hollis arregalou os olhos.
- Lindsey Lee Wells, bote agorinha mesmo uma moeda de 25 centavos no pote do palavrão! 
- Merda - Lindsey disse. - Caralho. Porra. - Ela foi lentamente até a moldura da lareira e colocou uma nota de 1 dólar num pote de vidro com tampa. - Tô sem moeda, Hollis - ela disse."
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

E não podemos esquecer das notas de rodapé que é um charme a parte. As notas foram brilhantemente planejadas e dão sequência a linha de raciocínio do parágrafo do qual se refere. E essas notas trazem coisas ainda mais engraçadas que o próprio texto! Então leiam todas as notas de rodapé e na sequência que elas foram apontadas, ok?

Ah… para quem gostar de ler o final do livro antes de inicia-lo, assim como eu, terá uma surpresinha bastante engraçada.

Li algumas criticas que diziam "esperar mais" desse livro por ser do Green. Porém, levando em conta que o enredo do livro é totalmente diferente do contexto de suas histórias anteriores, este livro foi tão bom quanto, pois John consegue nos manter sempre curiosos pelas descobertas de Colin e a elaboração do teorema.

Eu gostei muito dá história de Colin e de como ela ocorre, é um ótimo livro para passar um fim de semana tranquilo lendo. Recomendadíssimo!

Comentários

Postagens mais visitadas